Notcias




 

Conferncia de ATER ser este ano

publicada em 29-07-2011

 Brasília – Por unanimidade, os integrantes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável (Confraf), reunidos na sede da Embrapa, em Brasília, aprovaram a realização, ainda este ano, da Primeira Conferência de Assistência Técnica e Extensão Rural (1ª Cenater), que terá como tema A ATER Pública para a Agricultura Familiar e o Desenvolvimento Sustentável do Brasil Rural. O encontro deverá contar com 1.200 participantes, sendo metade representante da sociedade civil, da qual 500 serão de agricultores familiares. O restante ficará divido entre as entidades estaduais de assistência técnica e extensão rural (200 representantes), o governo (120), conselhos de desenvolvimento rural, Condraf, Comitê Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Comitê) e governo federal.A proposta elaborada pelo Comitê cumpriu uma orientação aprovada na reunião anterior do Condraf. Ela prevê que a 1ª Cenater seja precedida, obrigatoriamente, por conferências estaduais, municipais, territoriais e eventos temáticos e setoriais. Essa etapa estadual deverá ocorrer entre 1º de setembro e 31 de outubro, e a nacional em dezembro, cujos dias ainda serão definidos. Nesse intervalo, serão elaborados o documento-base, ocorrerão as conferências estaduais, consolidadas as propostas para a nacional e, em fevereiro de 2012, lançado o documento consolidado da 1ª Cenater. Para o governo federal, o interessante seria a realização da Cenater em 2012. Além do contingenciamento orçamentário, imposto pela equipe econômica no início de 2011, ao longo deste ano a agenda de conferências está congestionada, com 16 encontros previstos ou já marcados. Mas os integrantes do Condraf entenderam que diferentes fatores conjunturais exigem que a Cenater ocorra em 2011. Entre os principais argumentos citados durante o debate, no fim da manhã de hoje, os conselheiros destacaram a não realização da conferência em 2010, como estabelece a Lei nº 12.188/2010; a importância da assistência técnica e extensão rural para os resultados do Programa Brasil sem Miséria e também para o desenvolvimento do campo. Além disso, 2012 será um ano de eleição, com a escolha de prefeitos e vereadores, o que imobilizará as ações governamentais a partir do segundo semestre.Realizar a conferência até fim deste ano permite ao governo federal incorporar as proposições aprovadas na sua ação política para o meio rural.  O presidente da Associação Brasileira das Entidades de Assistência Técnica e Extensão Rural (ASBRAER), Júlio Zoé de Brito, afirmou que a realização da Cenater este ano é oportunidade única para um diálogo com o Brasil sem miséria”. Alertou que muito do que está pensado poderá não acontecer sem a assistência técnica e a extensão rural”. Entre os muitos cenários que concentram a miséria no país, o semiárido é uma das áreas críticas. Assim, Júlio Zoé lembrou a falta de investimentos na região e destacou que há comunidades inteiras sem água, sem estradas. “O Brasil sem miséria poderá permitir que haja uma mudança nesse cenário”, acrescentou. Para o presidente da ASBRAER, pensar em desenvolvimento do semiárido é preciso lembrar da cultura forrageira e em criações de animais menores, em produção de leite. Júlio Zoé contestou a ideia de produção de mamona no semiárido para biodiesel. Não podemos confundir biodiesel com mamona”, advertiu.    

 Fonte: Ascom ASBRAER


<< Voltar

 

COPYRIGHT © 2008 GOVERNO DE PERNAMBUCO
Av. General San Martin, 1371 - Bongi - Recife - PE - CEP: 50761-000 - PABX: (81) 3184-7200