11 de setembro de 2019

IPA completa 84 anos de trabalho vigoroso em prol da agricultura familiar pernambucana

O Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Agrário, completou nesta última semana 84 anos de um trabalho vigoroso e pujante voltado à valorização da agricultura e do agricultor familiar de Pernambuco, a quem o órgão, via profissionais capacitados, está sempre atento com projetos de pesquisa inovadores, desenvolvendo constantemente ações de ATER do Litoral ao Sertão. Graças ao IPA, por exemplo, a palma forrageira, planta tão importante para a realidade semiárida, não deixou de existir. Foi o Instituto, via pesquisa, que desenvolveu cultivar resistente à praga da Cochonilha do Carmim.

O IPA planeja, agora para setembro, projeto para se tornar autossustentável em várias searas. A iniciativa piloto será em Belém do São Francisco, berço das principais cultivares de tomate e cebola comercializadas no País. No primeiro momento, serão cultivados 20 hectares para à produção de sementes de milho, que em duas safras deverão render 170 toneladas de sementes de milho. Até o final do ano, esse número será ampliado para 50 hectares com produção anual de 500 toneladas de sementes básicas. Duas estações experimentais, Ibimirim e Petrolina, também estão prontas para produzir sementes selecionadas.

A biofábrica da Estação Experimental de Itapirema, em Goiana, possui 200 mil mudas de palma forrageira, disponíveis para os agricultores familiares. A palma forrageira é uma prioridade, já que é base da alimentação animal para a bacia leiteira do estado, concentrada nas regiões do Agreste e Sertão. Em Araripina, a ideia é ampliar a produção de semente de sorgo e milheto forrageiro. Além disso, mais 20 hectares serão disponibilizados para a produção de mandioca.

Na área de melhoramento genético animal, o IPA realizará a produção de embriões, em Afrânio. Estudo aponta que o IPA tem potencial para se tornar, em curto prazo, produtor e fornecedor de sêmen e de embriões para bovinos, dentro e fora do estado. A qualidade genética dos animais criados nas estações experimentais, a exemplo de São bento do Una, que reúne gado de excelência, com vacas sagradas campeãs, além de Arcoverde que se destaca com a raça Girolando são cases de sucesso. Este ano, o Instituto disponibilizou 400 doses de sêmen de gado Girolando e Holandês para produtores de Serrita e Afrânio; 200 para cada município. O objetivo também é aumentar a oferta de tourinhos, a fim de atender a demanda dos pecuaristas que buscam elevar a qualidade de seus rebanhos.

Outro projeto, planejado para 2020, é a criação de novos bancos de sementes além do fortalecimento do atual banco de sementes crioulas.

O trabalho IPA vai além e também abrange às necessidades hídricas da agricultura familiar. Com uma diretoria voltada para estas questões, o órgão perfura e instala poços, faz recuperação, implanta dessalinizadores, está à frente de sistemas de água simplificados, além de construção de barragens subterrâneas, cisternas, adutoras de pequeno porte, entre outras iniciativas que beneficiam, diretamente, milhares de famílias de agricultores familiares do Estado.

Na extensão rural, o IPA está sempre próximo ao agricultor familiar. Coordena e mantém, no estado, com elogiada atuação, ações do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), Projeto Dom Helder – este uma referência para outros estados da federação; Projeto Mãe Coruja, cursos do Programa Horta em Todo Canto, entre outros, além de beneficiar diretamente agricultores com dias de campo, capacitação, intercâmbio entre instituições, sempre buscando acrescer, cada vez mais, o agricultor familiar do estado. É com competência e credibilidade que o IPA vem construindo sua história, em 84 anos completados no último sete de setembro.

 

 

 

Fonte: Núcleo de Comunicação do IPA