06 de novembro de 2019

Cultivo do Camarão Marinho é destaque na IV SEAGRO de Sertânia

O engenheiro de pesca do Instituto Agronômico de Pernambuco, Gilvan Lira, participou da IV Semana de Agropecuária - IV Seagro, realizada na quarta (30) e quinta-feira (31), na Escola Técnica Estadual - ETE de Sertânia. Durante a manhã e a noite, na quarta (30), ele ministrou palestra, no auditório da ETE, sobre Sistema Produtivo Integrado Aproveitando Poços de Água Salobra no Cultivo do Camarão Marinho, para alunos do Sistema Integrado e subsequente, respectivamente.

 Ele também ministrou o minicurso, Cultivo de Camarão Marinho em Águas Interiores, também para alunos do Sistema Integrado e subsequente, na quarta (30) e na quinta-feira (31), à tarde e à noite, na ETE. Na Exposição dos Trabalhos de Ciências, alunos do 3º ano, orientados pelo professor da Escola Técnica, Eduardo, apresentaram um trabalho de pesquisa e estágio com o tema Criação de Camarão.

“É uma satisfação, saber que alunos e professores do interior, já tem algum conhecimento sobre o camarão marinho e seu potencial. ver o trabalho de pesquisa das alunas, resultante de um estágio desenvolvido em uma fazenda de camarão marinho no interior da paraíba, indica que nossa aposta na carcinocultura marinha, iniciada em ibimirim-pe no ano de 2013, vem se expandindo naturalmente no interior de estado. além disso, o professor orientador e as alunas, também, mostraram interesse nas técnicas de cultivo apresentadas na palestras e minicursos ministrados. Iniciativas como essa contribuem para difundir a carcinocultura marinha, entre os agricultores familiares do Semiárido”, destacou o engenheiro de pesca.

Ainda segundo ele, essa atividade de cultivo de camarão marinho é interessante pelo fato de aproveitar poços de água salobra e propriedades que estão com solos em processo de degradação ou degradados. “Verifiquei, a partir das despescas na UD-PAD de Ibimirim, que a carcinocultura marinha, é uma das atividades mais adequadas para a região Semiárida”, pois é econômica no consumo de água e de alimento, finalizou Gilvan.

 

Fonte: Núcleo de Comunicação do IPA