12 de março de 2020

IPA forma equipe para avaliar resultados de seus programas socioeconômicos

Um estudo realizado pelo Instituto Agronômico de Pernambuco avaliou o impacto do macroprograma apoio à reestruturação da pecuária de leite em Pernambuco. As atividades desenvolvidas têm respaldo científico utilizando-se as metodologias experimentais e de seleção aleatória.

O objetivo é fazer uma análise comparativa do envolvimento e da eficácia prática das ações que impactam os indicadores de interesse relacionados às metas de cada programa ou projeto socioeconômico e seus efeitos juntos aos agricultores e a agropecuária. Serão avaliados os programas cujos objetivos e metas estejam claros e referendados pelo colegiado de diretores do IPA.

A iniciativa surgiu de uma parceria entre a Secretaria de Planejamento e a Fundação do Banco Itaú, em 2016, quando eventos de capacitação foram realizados em Pernambuco e culminaram com um Estudo de Caso realizado no município de Calçados no programa de sementes o qual foi coordenado pelo Núcleo de Planejamento.

A equipe definida para realizar as avaliações é coordenada por Hildeberto Rodrigues especialista na área, Giuberto Ramos Extensionista que vem estudando o tema, Geraldo Majella experiente pesquisador do IPA, Maviael Fonseca Gerente do Departamento de Assistência Técnica e José Valter técnico em Recursos Hídricos.

O IPA busca, no desenvolvimento de seus programas de trabalho, contribuir para o aprimoramento das ações agrícolas e pecuárias realizadas em Pernambuco. A competência da área de avaliação de impacto deverá ser colocada a serviço da gestão institucional. Nesse contexto, o IPA decidiu colocar à disposição da sociedade os resultados de sua aprendizagem contribuindo com iniciativas em avaliações de impacto que possibilitem medir, inclusive, o retorno econômico dos programais sociais que são executados.

O estudo de impacto é uma estratégia que irá colaborar para que a missão institucional seja realizada de maneira, mas eficiente e eficaz. Medir resultados é o caminho mais adequado para evitar o desperdício de recursos públicos, atualmente cada vez mais escasso.

Foto: Adriano Manoel

Fonte: Núcleo de Comunicação