14 de abril de 2020

Agricultores de Ipojuca contam com atendimento online e presencial

O escritório do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), em Ipojuca, presta assistência técnica combinada, de atendimentos online, via whatsapp, com ação presencial em aquicultura familiar, no Assentamento Engenho Amazonas. Nesta segunda-feira (13), foi completada a assistência técnica como serviço essencial com ação presencial, exercendo o serviço essencial para a cadeia de aquicultores familiares no Assentamento do Engenho Amazonas.
 
Na ocasião, foi assegurado todos os cuidados com a higienização de mãos, distanciamento entre os presentes, além do uso de máscara. A iniciativa foi executada com base nas trocas de informações do extensionista e engenheiro de pesca do IPA, Rodolfo Rangel, com aquicultores familiares do assentamento Engenho Amazonas em Ipojuca, via whatsapp. 
 
Na visita, foi identificado um viveiro existente de 400 m², que necessitou de orientações para programar e concluir a despesca total ainda nesta semana, seguido do processo de calagem no fundo e paredes laterais dos taludes internos  do viveiro, na proporção de 100gramas/m ², e exposição ao sol por um período de 15 dias. “Será quando ampliará a troca de informações em whatsapp para concluir a adubação, inclusão de substratos em tela vertical  e se programar  para o povoamento , visando atingir melhores sobrevivência em monocultivo de camarão Pitu, gigante da Malásia , visando atingir até o final do ano 90 quilos dos crustáceos , com uso de ração e renovação noturna programada adotando o acompanhamento do monitoramento do manejo de Cultivo”, destaca Rodolfo.
 
Também foram identificadas áreas para construção de um viveiro e realizada a marcação de um viveiro de  20 m x 40m. A área pré-selecionada , foram feitas as macroavaliações de topografia solo ,água e também a  sondagem de profundidade do nível do lençol freático, visando evitar erros sucessivos que o extensionista vem identificando na região, em razão da má escolha da área e também na elaboração da construção de viveiros, inundados pelo  lençol freático, causando transtornos nos manejos de drenagem e despesca dos viveiros. Este viveiro será utilizado para o policultivo de tilápia revertida com camarão Pitu, gigante da Malásia.
 
“A visita técnica também servirá de efeito multiplicador na própria Associação que já identificamos três produtores existentes de tilápia , que estão interessados em diversificar para o policultivo e cerca mais uns dez parcelas que vem gradativamente se despertando pelo interesse do cultivo do camarão pitu, gigante da Malásia em monocultivo ou policultivo com a tilápia revertida”, explicou Rodolfo. Ainda segundo ele, o serviço de home office continuará nas próximas quatros semanas , na comunidade local, para que outra visita técnica seja programada para o final da  segunda quinzena de maio, a fim de concluir os manejos de cultivos e programar os povoamentos .

Fonte: Núcleo de Comunicação