06 de julho de 2020

Artigo: PIB do Agronegócio brasileiro em tempos de pandemia

Em artigo recente de minha autoria publicado pela Folha de Pernambuco mostramos que, a pandemia causada pelo novo coronavírus (COVID 19) parou todas as atividades em todos setores da economia nacional, exceto o da agropecuária. Segundo o CEPEA, o Produto Interno Bruto- PIB, do agronegócio brasileiro cresceu 3,81% em 2019, uma alta importante após dois anos sucessivos de resultados desfavoráveis para o setor, que vinha sofrendo com preços relativos cada vez menores. Com esse desempenho, em 2019, o PIB do agronegócio representou 21,4% do PIB brasileiro total.

De acordo com o mesmo estudo, o grande destaque do agronegócio em 2019 foi o ramo pecuário, que cresceu expressivos 23,71%. Os volumes exportados de carne suína, bovina e de aves aumentaram 16%, 15% e 4%, respectivamente, em 2019. Ao mesmo tempo, os preços em dólares das carnes suína, de aves e bovina cresceram 13,6%, 5% e 3,7%, respectivamente. 

Por outro lado, em 2020, mesmo com a pandemia causada pela COVID 19, a pecuária vem tendo uma participação altamente significativa para o PIB do agronegócio brasileiro. Teve um aumento de 3,3% no primeiro trimestre desse ano em comparação ao mesmo período do ano passado.

Em uma análise conjunta envolvendo a pecuária e a agricultura, observamos que o agronegócio foi o único setor a registrar alta no PIB brasileiro no primeiro trimestre de 2020. A soja, mais uma vez, foi a grande responsável por esse crescimento, a qual tem, inclusive, perspectiva de um recorde de produção para esse ano. As outras atividades da economia como indústria e serviços registram uma redução como resultado dos efeitos colaterais causados pela pandemia. Os principais estudos do IPEA, IBGE e MAPA mostram que, no pior dos cenários da pandemia do coronavírus, o PIB do setor agropecuário terá um crescimento de 1,3% no ano em curso.

Estudos recentes do MAPA mostram que, o Valor Bruto da Produção Agropecuária em 2020, VBP, com valores atualizados no mês de junho, deverá atingir R$ 704,7 bilhões, alta de 8,5% em relação a 2019, sendo um recorde para a série histórica iniciada em 1989.

O VBP da produção das lavouras teve crescimento de 10,4% com um valor de R$ 676,6 bilhões, enquanto que a pecuária avançou 5,4%, chegando a R$ 234,9 bilhões. Os dados do VBP, também, mostram a liderança regional do Centro Oeste com 222,2 bilhões, seguido pela região Sudeste com R$ 174,9 bilhões, o Sul com R$ 167,7 bilhões, o Nordeste com R$ 67,2 bilhões e a região Norte com R$ 44,6 bilhões.

 Esses valores foram resultados de condições climáticas favoráveis na maior parte das áreas produtoras nas diferentes regiões, assim como  pelos preços favoráveis dos produtos agrícolas e das carnes brasileiras. Importante destacar que, o PIB do Brasil em 2019 foi de R$ 7,3 trilhões.

GABRIEL ALVES MACIEL

PESQUISADOR DO IPA, MEMBRO DO CONSELHO SUPERIOR DA FACEPE, MEMBRO DA APCA E EX-SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO MAPA.

 

Fonte: Núcleo de Comunicação