Publicaes | Folhetos Explicativos



CULTURA DA GRAVIOLEIRA

João Emmanoel Fernandes Bezerra; Ildo Eliezer Lederman e Maria Fernanda Ferreira da Silva

 

EM QUAIS REGIÕES DE PERNAMBUCO PODE SER PLANTADA?

Nas regiões da Mata, Agreste, Brejos de Altitude e Semi-Árido


QUAIS OS TIPOS DE SOLOS MAIS RECOMENDADOS?

A gravioleira adapta-se bem em diferentes tipos de solo, no entanto eles precisam ser bem drenados, profundos e terem o pH entre 6,0 e 6,5.


QUAIS AS VARIEDADES DE GRAVIOLEIRA EXISTENTES?

A "Nordestina" ou "Crioula" e a "Morada", são os tipos de gravioleira mais cultivados.

QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DESSAS VARIEDADES?

A "Nordestina" possui os frutos cordiformes, pesando entre 1,5 - 3,0kg, com polpa mole, doce e subácida. A "Morada" apresenta frutos grandes, pesando de 3,0 – 10,0kg, de forma redonda à cordiforme, polpa firme, sabor subácido a ácido e possui uma maior tolerância ao ataque da broca-da-semente.


COMO OBTER MUDAS PARA A INSTALAÇÃO DO POMAR?

As mudas devem ser obtidas de viveiristas credenciados e propagadas vegetativamente por enxertia, em sacos de polietileno, a fim de garantir a autenticidade da variedade.


POR QUE A MUDA DO TIPO "PÉ-FRANCO" NÃO É RECOMENDADA?

Em razão das plantas assim obtidas apresentarem variações de porte e rendimento, além de iniciarem a produção tardiamente.


QUAL O ESPAÇAMENTO INDICADO?

Quando o terreno é de topografia plana, recomenda-se o espaçamento quadrangular de    6 x 6m (277 plantas/ha), entretanto se a área for acidentada, a distribuição das plantas em triângulo dará melhor resultado, evitando os problemas de erosão.

QUAL O TAMANHO DA COVA E COMO FAZER O PLANTIO?

As covas devem ter as dimensões de 50 x 50 x 50cm ou 60 x 60 x 60cm. O plantio deve ser feito no início das chuvas, utilizando-se mudas bem desenvolvidas, plantadas com o colo acima do nível do solo, devendo-se fazer uma cobertura morta com capim seco e, logo após, o tutoramento da planta.

QUAIS AS CULTURAS QUE SE PODE INTERCALAR COM A GRAVIOLEIRA?

Como a gravioleira é uma planta perene e só inicia a produção com dois a três anos de idade, pode-se intercalar as culturas do mamoeiro ou do maracujazeiro, cujos ciclos de vida são relativamente curtos, além das culturas já tradicionalmente conhecidas como milho, feijão, batata-doce e amendoim.

COMO FAZER A ADUBAÇÃO?

A adubação da gravioleira deve ser feita baseada nas análises de fertilidade do solo, seguindo as recomendações técnicas para o Estado de Pernambuco. A análise de solo deve ser procedida três a seis meses antes do plantio para que haja tempo de efetuar a calagem e definir o esquema de adubação. De preferência, o calcário deve ser distribuído na área total dois a três meses antes do plantio.

QUAIS AS PODAS UTILIZADAS E COMO EFETUÁ-LAS?

A primeira é a poda de formação e consiste em se cortar o broto terminal a uns 60cm  do solo, após a planta ter sido levada para o pomar definitivo. Depois selecionam-se três ou quatro ramos bem distribuídos nos últimos 20cm da haste principal, que serão os responsáveis pela formação da copa, tendo-se o cuidado de não deixar a planta com a altura acima de dois metros e meio. Outra poda realizada é a de limpeza, onde se faz a eliminação dos ramos que apresentam brotações indesejáveis e a dos ramos secos, doentes  ou praguejados. Não se faz poda de frutificação, apenas recomenda-se eliminar alguns ramos no interior da copa para permitir a incidência dos raios solares e facilitar a aeração.

DEVE-SE IRRIGAR A GRAVIOLEIRA?

Sim. A gravioleira necessita de água para crescer e produzir. Estima-se que a sua necessidade hídrica esteja entre 1.000 a 1.200mm/ano. A implantação de um sistema de irrigação varia de um local para outro, em função do déficit hídrico, da luminosidade e da temperatura, entre outros fatores. A utilização da irrigação localizada, principalmente a microaspersão, vem sendo o sistema mais preferido em razão da economia de água, quando comparada  com a aspersão convencional e, também, pela pouca exigência de filtragem em relação ao gotejamento.

QUAIS AS PRINCIPAIS PRAGAS E COMO CONTROLÁ-LAS?

Broca-do-tronco e dos ramos - geralmente é detectada pela presença de excrementos, pela exsudação pegajosa  escura, no  tronco e  ramos, e pela presença de  serragem nas galerias abertas pela larva. O controle é feito através de injeção nas perfurações com o inseticida Nuvan (base de DDVP) na dosagem de 100ml/100 litros de água. Recomenda-se, também, efetuar a poda e a queima dos ramos atacados;

broca-do-fruto - ataca os botões florais e os frutos em qualquer estágio de desenvolvimento. Nos frutos, é facilmente reconhecida em razão das lagartas se alimentarem da parte interna e pela cor escura que se forma ao redor do local atacado e, também, pela serragem que é expelida para o exterior. O controle pode ser feito pelo ensacamento dos frutos sadios, quando atingirem de 3 - 5cm de comprimento; pelo enterrio dos frutos atacados e pelo tratamento preventivo através das pulverizações das inflorescências e dos frutos com Dipterex PM 80% (Trichlorfon) ou Lebaycid CE 50% (Fenthion), nas concentrações de 200ml/100 litros de água, para o primeiro inseticida e de 150ml/100 litros de água, para o segundo, a cada 20 dias, até bem próximo à maturação dos frutos;

broca-da-semente - geralmente é reconhecida porque os frutos atacados apresentam um grande número de furos. O controle é feito pelo ensacamento dos frutos sadios, pelo enterrio dos frutos atacados e pelas pulverizações com Dipterex PM 80% na dosagem de 200ml/100 litros de água ou Decis 25 E utilizando-se 40ml/100 litros de água, a intervalos de 15 dias.


QUAL A PRINCIPAL DOENÇA E COMO CONTROLÁ-LA?

Antracnose ou Podridão-negra - ataca tanto os ramos de plantas jovens como as flores e frutos ainda pequenos, provocando a queda destes. O controle é feito com pulverizações intercaladas de Cupravit Verde (Oxicloreto de Cobre) na dosagem de 200g/100 litros de água e Benlate ( Benomyl) na base de 150g/100 litros de água, em intervalos de dez dias.

COMO DEVE SER FEITO O CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS?

Pode ser feito por meio de capina manual com enxada, capina mecânica com roçagem ou gradagem e com aplicação de herbicidas. A capina manual e a gradagem devem ser executadas com todo cuidado para não ferir o tronco e as raízes da gravioleira. Os herbicidas de pré-emergência podem produzir efeito fitotóxico nas plantas novas recém-plantadas. Dependendo das ervas e da idade da planta, recomenda-se a aplicação de Gramoxone (Paraquat) na dosagem de 1,5 – 2,0 litros/ha e Roundup (Glifosato) na base de 1,0 –          1,5 litro/ha nas linhas de plantio, fazendo-se a roçagem nas entrelinhas.      

COMO SABER O PONTO DE COLHEITA DA GRAVIOLA?

Não é fácil de se determinar o ponto de colheita da graviola. Sugere-se que os frutos sejam colhidos quando a coloração verde-escuro da casca passe a verde-claro e as espículas se quebrem facilmente.

QUAL O RENDIMENTO MÉDIO ESPERADO DA GRAVIOLEIRA ?

 Estima-se uma produtividade de 8 - 10t/ha em condições de sequeiro e de 15 a 20t/ha com a utilização da irrigação



<< Voltar

COPYRIGHT © 2008 GOVERNO DE PERNAMBUCO
Av. General San Martin, 1371 - Bongi - Recife - PE - CEP: 50761-000 - PABX: (81) 3184-7200