Publicaes | Folhetos Explicativos



CULTURA DA CEBOLA

 Jonas Araujo Candeia, Maria Cristina L. da Silva e Judas Tadeu de Menezes

 

QUAL A IMPORTÂNCIA DA CEBOLA PARA O ESTADO DE PERNAMBUCO?

A cebola, juntamente com o tomate, são as hortaliças mais importantes sócio-economicamente para o Estado.   A produção anual  é  da   ordem de   90.343 toneladas, obtida   numa área   de cultivo em   torno de 5.314ha,  gerando   uma receita   estimada em   R$ 28.909.760,00 e cerca de 7.000 empregos diretos e indiretos.

 

ONDE SE CONCENTRA A ÁREA DE CULTIVO NO ESTADO?

Ao longo do Submédio São Francisco, compreendendo os municípios da região de Petrolândia a Petrolina.

 

QUAL A MELHOR ÉPOCA PARA O PLANTIO?

 No Nordeste, cultiva-se cebola durante todo o ano, entretanto para atender à  demanda dos mercados consumidores das regiões sul e sudeste, a melhor época da semeadura, para se obter melhores preços, é o período de janeiro a março.

 

QUAIS OS TIPOS DE SOLO MAIS INDICADOS?

 Os solos de textura média (areno-argilosos ou argilo-arenosos) e ricos em matéria orgânica.

QUAIS AS VARIEDADES MAIS RECOMENDADAS?

 

·        Coloração amarela: Valeouro IPA-11, Pêra IPA-4 (verão), Texas Grano 502 PRR,

                                       Granex 429 e Alfa Tropical (verão).

·        Coloração roxa: Franciscana IPA-10.

 

QUAIS OS MÉTODOS DE PLANTIO UTILIZADOS?

 A cebola pode ser cultivada através de semeadura + transplante, semeadura direta ou plantio de pequenos bulbinhos. No entanto, o método tradicionalmente mais utilizado em todo Nordeste é o de semeadura + transplante, que corresponde ao plantio em canteiros especiais, denominados de sementeiras, com posterior transplantio das mudas para o local definitivo.

 QUAL A QUANTIDADE DE SEMENTE NECESSÁRIA PARA O PLANTIO DE UM HECTARE?

Aproximadamente três quilos, quando se adota o sistema de plantio por semeadura + transplante.

QUAIS OS PRINCIPAIS PROCEDIMENTOS A SEREM ADOTADOS NA SEMENTEIRA PARA A OBTENÇÃO DE BOAS MUDAS?

 

·        Semeadura: deve ser feita a uma densidade de 8 a 10g/m2 de sementes, em sulcos transversais ao comprimento do canteiro, com profundidade de 0,5 - 1,0cm e distanciados em 10cm.

·        Adubação de fundação: aplicar 50g/m2 de superfosfato simples.

·        Adubação de cobertura: aos 15 dias após o semeio, aplicar 10g/m2 de sulfato de amônio.    Repetir a aplicação ou complementar com adubações foliares empregando150g de uréia/20L de água, se necessário.

·        Controle de pragas e doenças: após o semeio, pulverizar sobre as sementes uma solução do inseticida Sevin 850 PM (2,0kg/ha) associado aos fungicidas Benlate 500 (2,0 kg/ha) e Ridomil + Mancozeb BR (2,5kg/ha).

·        Cobertura das sementes: com fina camada de uma mistura de terra e esterco bem curtido.

·        Cobertura morta:  usar palha seca de arroz ou capim, retirando-os seis a sete dias após o plantio,  por ocasião da  emergência das plântulas.

·        Irrigação: manter o solo com 80% da umidade disponível.

 

QUANDO DEVE SER FEITO O TRANSPLANTE DAS MUDAS?

 

As mudas atingem o ponto ideal para transplante entre 30 - 35 dias após o plantio.

 

QUAL O SISTEMA A SER EMPREGADO NO PLANTIO DEFINITIVO?

Utilizar preferencialmente o sistema de leirões, sulcados a uma distância de 0,80m e sobre eles  transplantar três a quatro fileiras de mudas, utilizando-se os espaçamentos de 0,10 x 0,10m ou 0,10 x 0,15m.

 

COMO FAZER A ADUBAÇÃO NO PLANTIO DEFINITIVO?

Na adubação de fundação, incorporar por ocasião do preparo do solo, todo o fósforo, todo  o potássio e 1/3 do nitrogênio, recomendados através da análise do solo.  O nitrogênio restante deverá ser aplicado em  cobertura entre 20 e 35 dias após o transplante.

 

QUAL O SISTEMA DE IRRIGAÇÃO RECOMENDADO?

O cultivo de cebola deve ser irrigado, preferencialmente, por sulcos de infiltração. É importante manter um bom teor de umidade no solo (aproximadamente 80% da umidade disponível) até o completo desenvolvimento dos bulbos.

 

COMO CONTROLAR AS PLANTAS INVASORAS?

O controle é feito com a aplicação de herbicidas e, em alguns ambientes, complementado com capinas manuais. Para a cebolicultura da Região do Submédio São Francisco, recomenda-se o herbicida Ronstar 250 BR (3,5L/ha), aplicado logo após o transplante  das  mudas e,  posteriormente,   havendo  a  emergência  de  invasoras,   aplicar Targa  50  CE  (1,5L/ha),  eficiente  para  o  controle  de  invasoras  de  folhas   estreitas  e Totril (1,0L/ha), para o controle de folhas largas.

 

QUAIS AS PRINCIPAIS PRAGAS E COMO CONTROLÁ-LAS?

A larva minadora e, principalmente, o tripes são as pragas mais limitantes à cultura da cebola no Submédio São Francisco. O controle é feito simultaneamente através de pulverizações   semanais   e   de   modo  alternado com os inseticidas    Dicarsol 500 PS (1,0 kg/ha) e Karate 50 CE (0,2L/ha). Em média, são necessárias seis aplicações durante o ciclo da cultura.

 

QUAIS AS PRINCIPAIS DOENÇAS E COMO CONTROLÁ-LAS?

O mal-de-sete-voltas e a mancha de alternária são as doenças de folhagem mais prejudiciais à cebolicultura. Elas podem ser controladas através de pulverizações preventivas ou imediatamente após se constatar a ocorrência, empregando-se os fungicidas  Sportak (1,5L/ha), alternado com Dithane PM (2,0kg/ha) associado ao Benlate 500 (2,0kg/ha). Normalmente são necessárias quatro aplicações durante o ciclo da cultura.

 

COMO E QUANDO COLHER?

A colheita é realizada manualmente, aproximadamente aos 90 dias após o transplante das mudas. Nesse estádio, as plantas apresentam folhas amareladas, talo ("pescoço") murcho e, para algumas variedades, folhagem tombada.

 

O QUE É A CURA DOS BULBOS?

       É um tratamento pós-colheita que tem a finalidade de reduzir a umidade dos bulbos e melhorar a sua qualidade comercial.

 

COMO FAZER A CURA DOS BULBOS?

Ela deve ser feita em período de estiagem no próprio campo durante dois a três dias, tendo-se, entretanto, o cuidado de empilhar as plantas colhidas de modo que os bulbos fiquem protegidos com a folhagem da camada seguinte para evitar queimaduras  provocadas pelo sol. Em períodos chuvosos,  realizar a cura em galpões.

 

COMO CLASSIFICAR A CEBOLA?

A cebola é classificada com base no diâmetro transversal dos bulbos, através de classificadores manuais (peneiras) ou mecânicos. Os bulbos com diâmetro de cinco a sete centímetros são comercialmente os mais preferidos.

 

COMO DEVEM SER AS EMBALAGENS?

Os bulbos, convenientemente classificados, limpos e sem ferimentos, devem ser acondicionados em sacos de polipropileno telado, de cor vermelha e com capacidade para 20kg.

 

 

QUAL O CUSTO PARA IMPLANTAÇÃO DE UM (1) HECTARE?

Estima-se em R$4.000,00 (quatro mil reais), equivalentes a U$2.105,00 (dois mil, cento e cinco dólares)

 

QUAL O RENDIMENTO ESPERADO NO CULTIVO DA CEBOLA?

Sob condições normais de cultivo e com a utilização das tecnologias recomendadas, espera-se obter uma produção de bulbos comerciais de 25.000kg/ha, proporcionando uma receita bruta estimada em R$8.000,00 (oito mil reais). Isto representa um incremento de 47% na produtividade de bulbos em relação à média estadual e mais de 100% na receita do agricultor.

 



<< Voltar

COPYRIGHT © 2008 GOVERNO DE PERNAMBUCO
Av. General San Martin, 1371 - Bongi - Recife - PE - CEP: 50761-000 - PABX: (81) 3184-7200